domingo, 14 de julho de 2013

Emancipada



Capa de um dos meus livros, o ultimo a dar-me as ideias, o que acham? Dêm-me a vossa opinião. :D Obrigada!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Chorar para quê?

Chorar para quê, quando já são lágrimas quebradas?
Correr para quê, quando do que fugíamos já nos alcançou?
Fingir para quê, quando a rotina já nos deu um palco?
Falar para quê, quando somos atingidos com as nossas próprias facas?
Magoar para quê, quando já estamos tão perdidos nas nossas falhas?
Esperar para quê, quando a espera só nos torna mais frios?
Gritar para quê, quando não nos dão outra alternativa?
Queimar para quê, quando a própria chama nos mata?
E com isto vem um fim, o fim que todos nos aguarda, são facetas de uma vida, são voltas incalcináveis e barcos sobre o mar, que nos deixam o sal nos olhos e nos cega o interior de mágoas.
Somos nós, um todo.
Tão humanos e tão ingénuos.

Diana Silva    10:39h    22/05/2013


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Inverno

Hoje caminhei
sobre as raízes de uma árvore
árvore essa que me recordou de ti.

A própria flor em si
fruto que não é fruto
mas que provém dessa árvore
recorda-me da tua pessoa.

O regozijo de ver aquela cor
o rosa pálido que torna colorido um olhar...
e no entanto, esta não tem tal cor.

Brancura de neve pálida
suavidade de cetim, de gelo
e no entanto sobe a mim um
sentimento tão grande que deflagra este fogo em mim.

O Inverno torna-se idêntico a teu olhar...

O teu olhar de Oceano
onde nadam inúmeras mágoas e tristezas
onde nascem corais de incertezas
onde se avizinham perigos nas profundezas dele.

Não te conheço por inteiro
Mas nem o homem se atreve a viajar
para o local mais escuro e recôndito do maior dos Oceanos.

Estou aqui.

Diana Silva                                                  
30/01/2013  Qua. 10:10h